Receba dicas grátis!

Problemas com a parte elétrica da moto? Saiba como resolvê-los e evitá-los

Zelao-Problemas-com-a-parte-eletrica-da-moto-Saiba-como-resolve-los-e-evite-los

Motocilcistas já devem ter sofrido com problemas na parte elétrica da moto. Avaliar e corrigir adequadamente os erros na parte elétrica da moto é fundamental para uma boa manutenção de sua máquina. Portanto, fique de olho nas peças e equipamentos que compõem esse setor. Assim, evitará os danos ao veículo e ocasionais possibilidades de acidentes.

Confira a seguir como resolver e evitar problemas na parte elétrica da moto!

Superaquecimento do motor

Você sabia que a parte elétrica da moto pode ter relação com o motor? Uma pane elétrica, por exemplo, pode afetar o funcionamento do seu motor. Isso pode ter várias causas. Independente da refrigeração ser a água ou ar, o que impede o superaquecimento é a circulação do ar entre radiador de água, radiador de óleo e aletas do motor.

Alguns sistemas de refrigeração a água são mais complexos e envolvem radiador, válvula termostática, ventoinha, bomba d’água, fusível. A ventoinha de refrigeração, por exemplo, pode estar com defeito e não cumpre sua função de refrigerar quando o motor atinge temperaturas mais elevadas. Lembre que a ausência de água suficiente no radiador da moto pode deixar o motor superaquecido. Para solucionar esse problema, você deve completar o nível de água.

Contribuem ainda para o superaquecimento:

  • Engarrafamentos;
  • Ruas estreitas;
  • Ladeiras;
  • Muitos quebra-molas;
  • Peso excessivo;
  • Marcha reduzida nas estradas.

Quando avaliar a parte elétrica da moto, confira se o sistema de refrigeração está em ordem, se os níveis do líquido de arrefecimento e da água do radiador estão preenchidos.

Bateria descarregada

Outro item a observar na parte elétrica da moto é a bateria. As mais modernas apresentam durabilidade de, aproximadamente, três anos. Já as convencionais duram cerca de 1 ano e meio.

Instalação mal feita de certos equipamentos (alarmes, rastreadores e outros) pode causar fuga de corrente e a bateria não vai conseguir fazer o veículo ligar. Também não se aconselha a deixar a moto sem funcionamento por muito tempo, pois falta de uso e rodagens curtas ajudam no descarregamento da bateria.

Para evitar fuga de corrente em motos paradas:

  • Coloque um apoio de madeira ou borracha no tripé (gera-se uma corrente, como fio-terra, que dissipa a energia da bateria);
  • Desconecte os cabos da bateria (cuidado para seguir a ordem certa: primeiro o negativo, depois o positivo; para reconectar, faça o inverso).

Em tempos chuvosos, o motor exige mais da bateria por causa da temperatura baixa, já que o óleo fica mais espesso. Além disso, a umidade pode provocar curtos, que levam ao maior consumo de energia.

O correto é sempre fazer uma revisão na bateria em oficinas especializadas e tomar cuidado com as baterias convencionais, que precisam ser completadas com água destilada.

Falhas na ignição

Para verificar a parte elétrica da moto no que diz respeito à ignição, verifique se há conexões oxidadas. Limpe-as sempre, usando um spray adequado. Meça também a resistência das bobinas e a voltagem da bobina principal (fica entre o rotor e a vela). O motor precisa, no mínimo, de 45 volts para funcionar. Caso não tenha um voltímetro, diminua a abertura dos contatos da vela para 0,05 mm e observe:

  •        Se a moto pega facilmente, o gerador está enfraquecendo;
  •        Se precisa empurrar a moto para funcionar, há falhas na ignição e, talvez, problemas em giros altos ou vela queimada.

Sujeira e falta de lubrificação na parte elétrica da moto

É importante manter a parte elétrica da moto sempre livre de sujeira e com as peças bem lubrificadas com produto adequado. Também proteja a parte elétrica da moto de um contato maior com ar e água.

E você, já cuida corretamente da parte elétrica da moto? Faz a manutenção periódica? Deixe o seu comentário sobre o post!

Adicionar comentário