Receba dicas grátis!

Curiosidades sobre o Mundial de Superbike

Depositphotos_28658485_m-2015

Criado quase no final da década de 80, o Superbike World Championship (SBK para os íntimos) é um dos maiores torneios de motovelocidade do mundo. Chegando em 2015 a sua 26ª edição, o evento é hoje um dos que mais atrai a atenção do público e da mídia graças ao design e poder de suas motos. Mas é claro que não é só por isso que o campeonato é tão conhecido.

Veja outras curiosidades que fazem do mundial de Superbike um dos principais torneios de velocidade da atualidade!

Esporte para cinquentões

Ao contrário de outros esportes como o futebol, os atletas mais velhos não precisam largar as chuteiras (ou melhor, os capacetes) no Superbike. Aceitando corredores de até 50 anos, o torneio é hoje um dos mais acessíveis do mundo.

Sem sair de casa

Apesar de não ter a mesma popularidade dos games de futebol ou fórmula 1, os jogos eletrônicos com corridas de motovelocidade não deixam nada a desejar nos quesitos qualidade e diversão. E sabendo disso, a Yamaha (uma das maiores marcas do mundo), apostou no começo do ano em um lançamento exclusivo do game RIDE, responsável por colocar o jogador no comando de motos com os mais diferentes motores e nas mais diferentes pistas.

O lançamento atraiu mais de 40 mil pessoas que ficaram super interessadas em colocar as mãos no jogo, que agora está disponível para PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One e PC.

Salários não muito altos

Ao contrário do que acontece no torneio do MotoGp, onde os pilotos podem receber até três milhões de euros por ano como salário, os do Superbike World Championship não costumam ser tão exorbitantes. Com um valor médio de 20 mil euros, os prêmios das corridas costumam hoje empatar o valor gasto com a produção das motos, que, num dia onde tudo corre bem, chega a bater em 10 mil euros.

As marcas mais usadas

Quando você pensa em Superbike, você logo pensa em Ducati e Kawasaki, as duas marcas mais presentes nesta quase década e meia de torneios. No entanto, na hora de levar troféus para casa a italiana larga na frente, já tendo ajudado a abocanhar cerca de 14 prêmios ao todo.

Correndo por fora temos também a Honda, que apesar de não ser tão constante como as duas aí de cima, também já levou cinco troféus do mundial pra casa.

Os países mais premiados

Apesar da briga ser boa entre Estados Unidos e Austrália, como os países com maior número de medalhas no Mundial de Superbike, os norte-americanos também disputam com os ingleses o cargo de nação com maior número de primeiros lugares no campeonato.

Com apenas uma medalha de ouro atrás dos americanos, os competidores da terra da rainha já levaram oito torneios pra casa e parecem estar afim de desempatar a brincadeira o quanto antes.

Com tantos números e curiosidades não é de se admirar que o Mundial de Superbike seja hoje um dos torneios mais importantes para os amantes de motos e velocidade (muita velocidade), não é mesmo?

Adicionar comentário